Negócios

Fernanda Dib superou preconceitos e prosperou no segmento de barbearias, ramo tradicionalmente masculino

“Pesquisando sobre o tema, acabei me deparando com um conceito novo, de barbearias contemporâneas..."

Visionária, já se vão dezesseis anos que Fernanda Dib decidiu apostar num modelo de negócio “de homem”. Ela venceu desafios e multiplicou sua marca, a Garagem, Barba Cabelo e Bem-estar, hoje uma das maiores redes de barbearias de todo o Brasil

Fernanda Dib é uma empresária ousada. Administradora de empresas, ela é a única mulher do País que está à frente de uma rede de barbearias, negócio tradicionalmente masculino. A Garagem Barba, Cabelo e Bem-Estar surgiu em 2001 como a pioneira no setor de barbearias contemporâneas e hoje conta com dez unidades, crescendo em ritmo acelerado.

A história de Fernanda no mundo das navalhas começou a se delinear no ano 2000, quando a mãe de Fernanda, que tinha um salão de beleza feminino no bairro de Moema, na capital paulista, decidiu passar o negócio para a filha.

Naquela época, Fernanda era executiva do mercado financeiro. “Quando o negócio ficou sob minha direção, senti que precisava aumentar o faturamento para torná-lo economicamente viável”, lembra Fernanda. “No dia a dia, comecei a notar o aumento da frequência masculina”, conta.

Foi aí que teve o estalo. “Pesquisando sobre o tema, acabei me deparando com um conceito novo, de barbearias contemporâneas, que estavam surgindo na Europa e nos Estados Unidos. Decidi apostar na ideia”, lembra.

Corajosa e motivada pela ideia de empreender e se lançar em um negócio pioneiro, Fernanda decidiu seguir em frente. Em tempo: as barbearias tradicionais haviam praticamente sumido a partir dos anos 70, quando o público masculino foi migrando para os salões femininos, que se tornaram unissex.

Em 2001, Fernanda iniciou uma ampla reforma no salão da família para adequá-lo ao novo conceito. A ideia não era apenas lançar uma barbearia aos moldes antigos, mas, sim, oferecer todos os serviços essenciais de beleza para o homem contemporâneo. Corte e barba eram apenas o começo. O local também ofereceria podólogo, manicure, massagens, tinturas, limpeza de pele e depilação, tudo pensado exclusivamente para o homem.

Além disso, a tematização do espaço surgiu como um grande diferencial. Garagem não era apenas o nome, mas o motivo principal da decoração.

O conceito era inédito e, como era de supor, a concorrência começou a surgir. Muitos entraram e saíram do mercado, enquanto o Garagem continuava firme e forte, desafiando preconceitos. O principal deles era mesmo a falta de hábito, ou tabu, do homem brasileiro de entregar-se a cuidados de beleza. Mesmo assim, Fernanda sempre acreditou no potencial do negócio. E sabia que deveria aguardar até o mercado ficar maduro e pronto para a expansão da empresa.

Com isso, a segunda unidade surgiu somente dez anos depois. Foi em 2011 que a unidade Itaim foi inaugurada. O alvo foi certeiro e a unidade logo conquistou uma clientela fiel, sobretudo de executivos e profissionais liberais.

 

Negócio cresceu durante a maior crise da história do Brasil

Em 2013, com o mercado de beleza masculino em ascensão, Fernanda decidiu expandir. “Na base, queríamos preservar a excelência em qualidade da marca, o alto padrão do negócio e, também, crescer a nível nacional”, conclui.

Tomada a decisão, Fernanda fez uma imersão no universo de franquias e, em 2014, lançou a primeira unidade em modelo franchising — que, foi a terceira loja da rede, já que as duas primeiras são unidades próprias.

O novo modelo exigiu repaginação da marca, padronização dos processos, o redesenho do espaço – hoje menos temático do que no passado.

A franquia do Garagem foi muito bem aceita, surgindo vários parceiros interessados em contribuir para a expansão da marca. Para atender ao mercado, foi criado um modelo compacto, com 30 metros quadrados (“Pit Stop”), área que tem sido muito atrativa para os franqueados que desejam abrir em shoppings.

Veio, então, a recessão mais intensa da história do Brasil. Mesmo assim, Fernanda avançou com o projeto da expansão, apoiada por indicadores positivos. É que, mesmo durante a crise, o setor seguiu em direção contrária, crescendo mais de 7% ao ano. “Hoje estamos próximos de atingir a liderança mundial na área de beleza masculina, superando os Estado Unidos; o nosso mercado realmente floresceu, conforme nossa aposta desde o início”, diz ela.

E a expansão da Garagem Barba, Cabelo e Bem-estar tem ocorrido em ritmo rápido. Enquanto em 2016, a rede somava cinco lojas, agora em 2018 já são dez unidades, dobrando de tamanho nos últimos dois anos.  Até o final  de 2018, a marca deve abrir mais três lojas, totalizando treze unidades.

Inovação em Tecnologia na Garagem, em sintonia com pesquisa da ABF

Em janeiro de 2018, a ABF – Associação Brasileira de Franchising, divulgou na 1ª Pesquisa de Inovação nas Franquias Brasileiras que 91,8% das empresas franqueadas introduziram algum novo produto ou serviço entre 2014 e 2016.

A rede Garagem Barba, Cabelo e Bem-Estar está totalmente alinhada com a pesquisa. Por exemplo? A Garagem foi a primeira rede de barbearias a lançar aplicativo exclusivo, após introduzir o agendamento online no site.“As ferramentas atendem plenamente as demandas do homem moderno”, explica Fernanda. “Essas facilidades combinam muito com o perfil do nosso público, pois, como regra geral, eles são mais práticos que as mulheres com relação a agendamento de serviços e têm uma abertura maior para novas tecnologias”, diz Fernanda.

Outro serviço que cresceu muito no Garagem é o Dia do Noivo, cuja procura aumentou bastante nos últimos anos, sendo que algumas unidades do Garagem lançaram espaços privativos e exclusivos para atender a esta demanda.


Quer conhecer saber mais sobre o empoderamento feminino? Clique aqui e ouça a história de Dilma Souza Campos.

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar