Finanças

Planejamento financeiro no protagonismo dos e-commerces

 Lars Leber*

Quais são as motivações que uma pessoa tem quando resolve ser dona de um e-commerce? Ganhar dinheiro e ter satisfação pessoal são apenas consequências de um trabalho mais extenso e, às vezes, inexistente aos olhos do consumidor. Ainda que o estoque, a logística, os planejamentos de marketing, o dinheiro gasto em embalagem de proteção do produto não sejam os protagonistas do negócio, os coadjuvantes são os que mais fazem a engenharia por trás dos e-commerces funcionar.

Em geral, ter um e-commerce não é uma tarefa fácil. O planejamento é a chave para toda e qualquer ação, seja para abrir um negócio, para expandi-lo ou mantê-lo com o mesmo status financeiro. É por isso que o planejamento financeiro deve ser tratado com a devida importância. Preocupar-se com cada peça do quebra-cabeça é essencial para a saúde da empresa.

Tendo em vista que a média de parcelamento de um produto entre os brasileiros é de três meses, ter um fundo que garanta dinheiro para todo o semestre pode evitar imprevistos. Outros detalhes que podem passar desapercebidos pelos comerciantes são as datas de vencimento dos cartões de crédito, que variam para cada cliente, além das margens de lucro já contabilizando os descontos para pagamentos à vista e promoções. Também por conta disso o fluxo de caixa é tão importante para o controle financeiro. É nele que os empresários acompanham as receitas e despesas para que, assim, possam definir a quantia necessária de capital de giro para manter o negócio funcionando.

Com relação às datas comerciais, nem todos os e-commerces se preparam com antecedência e, por isso, não conseguem atingir o resultado esperado. Datas como Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Pais e Dia das Crianças requerem atenção e planejamentos específicos com melhorias estruturais no processo de compra, venda e entrega. A fim de aproveitar esses ganchos do varejo, o ideal é que cada empreendedor comece a se planejar com, no mínimo, dois meses de antecedência.


Assista (EXCLUSIVO): Apenas uma ideia não quer dizer nada. Porém, para Diego Monteiro, CEO da Gracom, foi o “start” para uma empreitada de sucesso.


Para a Black Friday, o processo de organização deve começar cerca de quatro meses antes, levando em consideração a automatização de sistema para atender à grande demanda de acessos – o que leva tempo e dinheiro – além de planejamento para a logística e ações de marketing. Afinal, os e-commerces não funcionam sem prazos e organização de atividades de curto, médio e longo prazo.

O erro mais comum dos novos – e até dos mais calejados – empresários, ao abrir um e-commerce, é não se ater às especificidades de um planejamento de estoque e logística. Onde cada quilômetro vale dinheiro, não fazer as contas apropriadas pode levar a um prejuízo que poderia ser evitado.

É importante reconhecer e sempre ter em mente que cada decisão tomada, por menor que ela pareça na rotina de trabalho, é decisiva para a saúde financeira do negócio. Subestimar o planejamento, o controle das finanças e a organização em todos os setores, é um tiro no pé de qualquer empreendedor. Seguindo todo o bê-a-bá, a otimização dos processos e a maximização dos lucros da empresa ficarão cada vez mais reais.

* Lars Leber é Country Manager da Intuit Brasil, empresa multinacional com sede na Califórnia (EUA) que oferece soluções de gerenciamento financeiro para pequenas empresas e micro empreendedores.

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close