ColunistasSliderTatiane Silva

Como foi ministrar minha palestra: um breve relato e dicas!

Você já pensou em dar uma palestra? Pode ser sobre aquele assunto que você tanto ama. Sim? Pois eu não! E olha que sou apaixonada por minha área de atuação e amo debater sobre os assuntos correlatos. Essa coluna é um exemplo disso e, sempre que posso, estou por aqui ou no meu Linkedin para compartilhar um pouquinho sobre o que venho aprendendo nas áreas de mídias sociais e relacionamento com o cliente. Porém, eu nunca me vi falando sobre esses temas para muitas pessoas, mas como a vida é uma caixinha de surpresas, não é que esse dia chegou?

Sim, eu ministrei uma palestra! E o mais legal é que esse convite veio a partir de um texto que publiquei aqui no Cobizz! O que só reforça aquilo em que eu acredito: quando a gente faz o que gosta e com o máximo de cuidado possível, as chances de colher bons frutos são imensas e eu não poderia deixar de compartilhar por aqui tudo que aprendi após essa experiência. Mas, Tati, você já quer dar dicas? É claro que sim! Eu adoraria que algum marinheiro de primeira viagem tivesse me falado algumas coisas antes de tudo. Então vamos lá?

Comece a pensar o quanto antes sobre o tema

Eu recebi o convite com dois meses de antecedência e isso foi ótimo para que eu pudesse me planejar. Tanto que aproveitei o tempo e comprei um livro que me auxiliou na criação do conteúdo, chamado Foco No Cliente Certo, do Peter Fader. A lógica é bem simples: quanto mais cedo você começa a pensar sobre o tema, mais tempo você terá para amadurecer ideias e elas soarão mais naturais quando você as expressar. Se você já domina o assunto, ótimo! Então utilize o tempo para encontrar meios de tornar o assunto da palestra o mais relevante possível. Para isso, é necessário pensar em algo primordial: a sua audiência.

Pense na sua audiência

É aqui que começo a falar sobre meus erros. Eu me preocupei tanto nos argumentos e exemplos que usaria, que acabei esquecendo de pensar com mais cuidado nas pessoas que me ouviriam. Quem eram elas? Profissionais da área de turismo, mas na minha apresentação não havia nenhum caso relacionado a esse mercado.

Lembre-se que quase sempre assistimos uma palestra para obter algum aprendizado, seja no âmbito profissional ou pessoal, logo, é muito importante que você tente criar um lugar comum junto ao seu público e nada mais apropriado do que exemplificar com situações cotidianas ou dar dicas considerando a realidade da sua audiência. Fica mais didático e útil.

Além disso, considere a linguagem utilizada. Já fui a eventos voltados para iniciantes em que o palestrante utilizou um vocabulário totalmente técnico, o que dificultou o aprendizado de quem não era familiarizado com o tema. O mais importante, no final das contas, é passar sua mensagem com clareza.

Construa uma linha de raciocínio

Falando ainda sobre ideias, vale lembrar que tudo sempre é mais claro na nossa cabeça, porém, para que tudo fique compreensível para quem nos escuta é necessário que desenvolvamos uma linha de raciocínio coerente. O velho e bom “começo, meio e fim”, que permitirá que a sua audiência percorra a sua linha de raciocínio. Às vezes, o que é óbvio em sua mente é um ponto-chave para a compreensão de uma ideia. Não se esqueça disso.

Pense no visual: isso faz toda a diferença

Uma boa apresentação visual não vale de nada se as suas ideias não forem bem explicadas. Porém, não vamos negar que isso ajuda (e muito!) no processo de compreensão da mensagem. Afinal, ela ilustra e ajuda a fixar o conteúdo ministrado. Imagens, vídeos, gráficos e frases destacadas são alguns recursos que podem deixar a palestra mais interessante. Esse artigo dá boas dicas para criar uma boa apresentação.

Tudo pronto? Reveja todos os detalhes

Sabe aqueles pequenos detalhes? Tipo horário da palestra, informações do mini currículo, local do evento e afins? Então, não se esqueça deles, por mais óbvios que eles possam parecer. Isso ajudará a evitar aqueles pequenos imprevistos que, embora ínfimos, podem tirar sua atenção. Minha palestra, por exemplo, começou alguns minutinhos atrasada, porque eu literalmente conheci a loucura que é o trânsito de São Paulo. Mas não há desculpas se você pode pensar e se atentar a cada detalhe. Por isso, esse foi meu maior aprendizado após essa experiência.

Quer mais dicas? Esse artigo que encontrei é muito completo e também poderá te ajudar pensar na sua próxima palestra.

Tatiane Silva é Publicitária, Community Manager e escritora de gaveta nas horas vagas. Há cinco anos vem se dedicando ao mundo das mídias sociais e adora escrever sobre marcas, marketing digital e tecnologia, sempre de um ponto de vista humanizado.

 

 

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar