Adriana ValeColunistasSlider

O que não pode ser medido, não pode ser gerido

"...quando o negócio não tem processos, a chance de fechar as portas é muito maior."

[ADRIANA VALE] O que não pode ser medido, não pode ser gerido

Segundo dados de mercado, derivado das mais diversas fontes, o maior problema das
empresas em geral, independente de sua fase de maturidade, é a falta de gestão.

Independente de fatores externos com crise econômica ou política, quando o negócio não
tem processos, a chance de fechar as portas é muito maior. Mas sabe porquê? Pense por
um momento: como você sabe se o resultado está bom ou ruim? Vender mais, ou seja, ter
mais receita, significa ter mais dinheiro na empresa? Se pelo menos você conseguir
responder essas duas perguntas, já demonstra que está antenado na necessidade de ter
indicadores no seu negócio – mesmo que não os tenha ainda – mas o fato de ter essa
ciência já é um grande passo. E quando falamos de indicadores, não precisam só ser
numéricos; podem ser qualitativos também.

A grande maioria dos empreendedores no Brasil começam seus negócios não como
empresa, mas sim como produto (ou serviço). Os profissionais pensam no que estão
produzindo, mas não pensam no processo todo que está envolvido com a venda e após a
mesma. E muitos vão tocando o seu dia a dia, item a item, sem se preocupar em avaliar os
famosos indicadores. Como o nome já diz, indicador é aquele que indica, ou seja, que
sinaliza. Se você não sabe como está a saúde do seu negócio, se não está diagnosticando
a situação, não sabe se está agindo de forma correta ou se precisa calibrar alguma coisa. E
por isso, muitas empresas acabam recorrendo a consultorias, pois precisam de uma visão
não-viciada, ou seja, de fora, para fazer o seu tão importante diagnóstico, detecção de
problemas e oferta de solução.

Os indicadores, por mais simples que sejam, são o termômetro do seu negócio. Eis
algumas sugestões básicas para se monitorar:

1) Vendas: como estão as vendas no período? Pode ser mensurado diariamente,
semanalmente e/ou mensalmente. Mas acompanhar as vendas e criar um histórico
por linha de produto (ou serviço) é fundamental para ser ter um parâmetro e poder
se avaliar se elas estão caindo ou crescendo, se há sazonalidade, etc;

2) Funcionários: avaliar a performance dos funcionários é essencial. Você pode fazer
uma pesquisa muito simples, para saber do consumidor no seu ponto de venda, por
exemplo, como está o atendimento. Se você não acompanha o atendimento ao
consumidor, pode ter queda nas vendas devido a um mal serviço e se não estiver
ciente, não poderá treiná-los ou até trocá-los;

3) Estoque: no caso de produtos, mensurar o estoque e compará-lo com as vendas é
muito importante. Não só para fazer o controle e poder calcular um estoque mínimo
ou de segurança, como também para saber se está havendo perdas e/ou danos.

Se você conseguir medir pelo menos estas três variáveis, já terá capacidade de avaliar
melhor o desempenho de seu negócio e ganhará fôlego para resolver os problemas com
agilidade. Lembre-se: o que não pode ser medido, não pode ser gerido.

Saiba mais sobre Adriana Vale clicando aqui.


Adriana Vale, mentora de negóciosmestre em Gestão de Negócios, profissional com 21 anos de mercado, empresária, professora de pós graduação, mentora e avaliadora de várias bancas consagradas no mercado; trabalha com projetos de viabilidade e posicionamento de negócios e criou um programa de gestão de negócios eficiente.

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close