FinançasSlider

6 dicas para investir em dólar

6 dicas para investir em dólar – Ideia de dinheiro fácil atrai investidores em um mercado de risco

Quando perguntamos aos investidores iniciantes o motivo da atração pelo investimento no dólar, a resposta é unânime. A ideia de obter lucro fácil e rápido é o que os move.

Mas esse é exatamente o perigo. Todo dinheiro que se passa na área do investimento pode ir para o bem ou para o mal.

Investir no mercado financeiro é uma ação de grande risco. Os traders, como são chamados todos que operam na bolsa de valores, podem viver com o lucro dos investimentos. Mas podem, também, perder bastante dinheiro.

O dólar é o ativo mais negociado da Bolsa de Valores. Por isso, a oscilação de preços diários é enorme. A WM Manhattan, mesa proprietária investidora e que trabalha na formação de traders, preparou 6 dicas fundamentais para ter conhecimento sobre o dólar e viver do mercado:

1- Agenda Econômica Mundial: O calendário econômico brasileiro é instrumento fundamental para todos investidores ou traders profissionais. Preste atenção nos gatilhos globais que impactam e especulam o mercado americano. É importante medir pesos, já que alguns indicadores possuem pesos maiores que os outros. Os principais dados de análise são utilizados pelos bancos centrais, que impactam nas decisões políticas monetárias e fiscais. Existem notícias especulativas, que impactam momentaneamente a moeda e existem aquelas que mudam o rumo do ativo por meses. Os indicadores mais importantes são: inflação; atividade da indústria; nível de desemprego norte-americano; PIB e relatórios de emprego (payroll)

2- Bolsas Estrangeiras: Se está pensando em investir em dólar, deve prestar bastante atenção nas bolsas de valores do mundo inteiro. As principais são: NYSE: Bolsa de valores de New York; Nasdaq (também americana); Tóquio (principal bolsa fora dos EUA) e LSE: Londres (a maior bolsa da União Europeia).

3- Mercado à vista, BovespaNem só de bolsas mundiais vive um traderde dólar. É muito importante estar atento ao que acontece na sua própria casa, no Brasil. Fique ligado na abertura e fechamento da Bovespa. O mercado à vista impacta diretamente o mercado futuro e vice-versa. Um volume grande de dinheiro aplicado na bolsa de valores provém da entrada de capital estrangeiro. E se há entrada de capital estrangeiro, este vem em moeda mundial, o dólar.

4- Hora de aprofundar: curva de juros futuro: calendário econômico; principais bolsas estrangeiras; abertura do mercado à vista. Tudo isso é fundamental para o dia a dia de um day-trader. A taxa de juros relaciona-se diretamente com a confiança e estabilidade do mercado. Quando se consegue relacionar estes dois ativos, Juros (DI) e Dólar (Dolfut), você encontra uma fórmula para o sucesso no day-trade de dólar. DI e dólar movimentam-se na mesma direção, normalmente. Um puxando o outro. Se o índice de “ativos seguros”, como o dólar, segue a taxa de juros, logo, índices de ativos de risco como o Ibovespa move-se na direção oposta. Nunca tome um indicador como base para operações financeiras, não existe verdade absoluta. Fique atento aos swaps de dólar realizados pelo BC, eles existem para reduzir a discrepância entre DI x Dólar. DI futuro é um ativo que deve estar na tela do day-trader de dólar. É um forte aliado para o sucesso.

5- Commodites – Petróleo, minério & cia: Commodities são cotadas e negociadas em dólar. Uma alta no preço da matéria-prima eleva também o valor de venda do produto final e gera alta no lucro das principais empresas brasileiras, que traz solidez ao mercado, que é igual à consistência. Quanto mais solidez as principais empresas da bolsa brasileira apresentar maior é a confiança nelas. Mais confiança na economia é benéfico ao país e isso atrai capital estrangeiro, atrai dólar.

6- Taxa Ptax: A Ptax é a média entre os diversos contratos de dólar: turismo, comercial, acordos entre companhias, contratos futuros da moeda. Definida na rolagem do contrato de dólar futuro (último pregão do mês) é a que vale para os diversos contratos cambiais do mês seguinte. A Ptax tem muita força na precificação do dólar, e a rolagem tem muita força na precificação da Ptax. Isso explica a maior volatilidade do ativo na reta final de cada mês, período em que os traders pressionam a taxa para cima e para baixo, buscando favorecer seus negócios.


ninguem te contou?

Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close